domingo, 28 de junho de 2009

Dinâmica (2) que mostra a necessidade da união e solidariedade (Yone educadora)

Novamente uma dinânica fácil, pois a intenção da dinâmica é mesmo atingir à todas as pessoas participantes.
Marcar no chão com giz, fita crepe ou outra coisa um círculo (onde possa caber bem menos pessoas do que as que vão participar) antes de começar.
Começando:
Imagine que estão no meio do mar e o lugar marcado é um bote salvavidas.
Peça à todos que calmamente entrem no barco.
Perceberão que: no início, caberão no "barco", mas quanto mais aumentar o número de pessoas, mais será necessário que se apoximem/juntem, que um segure o/no outro, e que quem não conseguir... ficará fora do barco e morrerá afogado.
E assim, é na vida... somos únicos... mas somos um, precisamos uns dos outros... só assim seremos pleno.

sexta-feira, 26 de junho de 2009

Citações da Yone

"Me conheço, sei de onde venho, prá onde estou indo (até onde me é permitido saber) e gosto o bastante de mim para não aceitar ir/estar/ficar onde/com quem não passo de uma brincadeira ou uma distração.
Sou bem mais do que isso."(Yone)

"Quanto mais me perco, mais me acho."(Yone)

"Quanto mais aprendo, mais percebo o quanto não sei."(Yone)


Na vida, não dá prá ser boa atriz vinte e quatro horas por dia, a máscara cai!
Se a conduta permanece (mesmo na impermanência rsrs) é porque é verdadeira... é da essência.(Yone)

Sou luz, sou clara, quase transparente... não cabe em mim "o escondido"!!(Yone)"

"Você pode ser/fazer o que quiser/puder, desde que dê conta e não faça mau à si e/ou ao outro."(Yone)

... o inexplicável ,só quem consegue sentir entende."(Yone)

quarta-feira, 24 de junho de 2009

Dinânica (1) para perceber as diferenças (Yone educadora)

Já apliquei a dinâmica que cito abaixo no Ensino Infantil, Fundamental, Médio e Universitário.
É uma dinâmica bem simples mas o resultado independente da faixa etária atingida, é sempre o mesmo, experimentem fazer:
- é individual, cada um faz o seu e não pode mostrar para o "vizinho"
- cada um com uma folha de papel e um lápis, vamos desenhar (não se preocupem pois não é prova de desenho)
- desenhe o animal mais feroz que existe
- desenhe o maior animal que existe
- desenhe o animal mais bonito que existe
- desenhe o animal mais manso que existe
- desenhe o animal mais feio que existe
Após todos terminarem os desenhos, você repete uma pergunta de cada vez pedindo para que cada um diga em voz alta o que desenhou.
É incrível o resultado: já apareceu rato/leão o animal mais assustador, cobra/gato o mais bonito... e por aí vai.
Uso essa dinâmica para perceberem que: a pergunta é igual para todos, mas as respostas são diferentes pois cada um entende à sua maneira.
Como educadora, quando possível incentivo para se aprender a pensar.
Quando apresento uma dificuldade nova, dou várias possibilidades de se construir um pensamento para se chegar num ponto final.
O que por um caminho é fácil de se entender para um, pode ser bem difícil para outro e vice versa.
2x3=6 2(3)=6 3x2=6 3(2)=6 (1+1)+(1+1)+(1+1)=6 ...

sábado, 20 de junho de 2009

Momentos mágicos

Costumo (hoje isso já é automático em mim) auto analisar as situações pelas quais passo.
Então, em alguns momentos me coloco como observadora da minha própria história... como se eu não estivesse envolvida... apenas assistindo e analisando.
Gostei do que percebi hoje, fiquei tão feliz, vou contar!
Estávamos em casa, eu e minha filha, cuidando da vida.
Acordamos, tomamos banho, fiz um café e tomamos.
Eu estava dando uma "ajeitada" na casa, ela dando uma geral em seu quarto.
Sem querer pensamos quase a mesma coisa, isso nos intervalinhos dos nossos afazeres: no computador... ela ir ouvindo e puxando música e eu dar uma arrumada geral (até nos arquivos), salvar em CD e deletar.
De repente chegamos ao mesmo tempo no escritório (em casa), ficamos surpresas e até achamos engraçado... olha só a conversa:
- você vai usar (Y e A ao mesmo tempo)
- só um pouquinho, to ocupada e você? (Y)
- o meu é rapidinho to arrumando o quarto (A)
- quer ir primeiro então vai (Y)
- não, pode ir você (A)
- não, vai você não to com pressa (Y)
- eu também não (A)
Nisso, caiu a ficha da minha analisada automática e eu comecei a rir.
Ela me olhou com cara de não entender nada, aí eu expliquei:
- A, eu comecei olhar tudo isso de fora e olha só como a gente é... um festival de gentileza e educação. Só tem a gente aqui, não é prá mostrar prá alguém.. a gente é sempre assim mesmo... e seus irmão também... olha só que lindo isso, dei um beijo e um abraço gostoso nela e disse:
-A, tem tanta gente se tratando mau, que algumas pessoas nem entenderiam esse momento nosso...olha que bom a gente ter isso!!
Eu digo que a ficha cai, porque eu não tinha parado prá pensar que nos relacionamos assim, nos relacionávamos e pronto, e de repente... eu percebi... e amei o que vi!!!

(conto isso, sem a mímima intenção de me mostrar gentil/educada (isso é um dever e não um direito), conto isso porque as coisas boas precisam ser ditas, e eu senti uma energia tão boa, tão forte e tão leve ao mesmo tempo que quero compartilhar com vocês.)

domingo, 14 de junho de 2009

Eu não acredito no impossível

Acredito no "nesse momento não dá", mas não acredito no impossível.
Lembra que Nicolau Copérnico descobriu que a Terra é redonda e foi queimado vivo pela inquisição por fazer tal afirmação e que depois Galileu Galieu através de observação confirmou a descoberta, mas negou só prá fugir da fogueira da inquisição?
Se começar a pesquisar nesse sentido verá que fatos aconteceram e acontecem ainda em nome de não se desfazer uma estrutura pronta.
Por poder ou crenças no " acabado" já se fez absurdos, já se destruiu coisas e principalmente pessoas.
É normal se assustar com o desconhecido, mas não se pode negar a possibilidade de novas descobertas... de mudanças.
Só podemos falar do que conhecemos e olha lá, o resto é pura suposição... por isso eu não acredito no impossível.

sábado, 13 de junho de 2009

Reforma ortográfica Yone educadora)

O alfabeto completo passa a ser:
A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V W X Y Z

Trema:
Não se usa mais o trema (¨), sinal colocado sobre a letra u para indica que ela deve ser pronunciada nos grupos gue, gui, que, qui. (aguëntar fica aguentar)
O trema permanece apenas nas palavras estrangeiras e em suas derivadas.

Mudanças na regra de acentuação:
Não se usa mais o acento dos ditongos abertos éi e ói das palavras paroxítonas (palavras que têm acento tônico na penúltima sílaba).(geléia fica geleia)
Essa regra é válida somente para palavras paroxítonas. Assim, continuam a ser acentuadas as palavras oxítonas terminadas em éis, éu, éus, ói, óis. Exemplos: papéis, herói, heróis, troféu, troféus.

Não se usa mais o acento no i e no u tônicos quando vierem depois de um ditongo.(feiúra fica feiura)
Se a palavra for oxítona e o i ou o u estiverem em posição final (ou seguidos de s), o acento permanece. Exemplos: tuiuiú, tuiuiús, Piauí.

Não se usa mais o acento das palavras terminadas em êem e ôo(s).(abencôo, lêem fica abencoo, leem

Não se usa mais o acento que diferenciava os pares pára/para, péla(s)/pela(s), pêlo(s)/pelo(s), pólo(s)/polo(s) e pêra/pera.(ele pára o carro, ele foi ao pólo norte fica ele para o carro, ele foi ao polo norte)

Permanece o acento diferencial em pôde/pode. Pôde é a forma do passado do verbo poder (pretérito perfeito do indicativo), na 3ª pessoa do singular.
Pode é a forma do presente do indicativo, na 3ª pessoa do singular.
Exemplo: Ontem, ele não pôde sair mais cedo, mas hoje ele pode.

Permanece o acento diferencial em pôr/por. Pôr é verbo. Por é preposição.
Exemplo: Vou pôr o livro na estante que foi feita por mim.

Permanecem os acentos que diferenciam o singular do plural dos verbos ter e vir, assim como de seus derivados (manter, deter, reter, conter, convir, intervir, advir etc.).
Exemplos:
Ele tem dois carros. / Eles têm doiscarros.
Ele vem de Sorocaba. / Eles vêm de Sorocaba.
Ele mantém a palavra. / Eles mantêm a palavra.
Ele convém aos estudantes. / Eles convêm aos estudantes.
Ele detém o poder. / Eles detêm o poder.
Ele intervém em todas as aulas. / Eles intervêm em todas as aulas

Não se usa mais o acento agudo no u tônico das formas (tu) arguis, (ele) argui, (eles) arguem, do presente do indicativo dos verbos arguir e redarguir.

Uso do hífen
Com prefixos, usa-se sempre o hífen diante de palavra iniciada por h. (anti-higiênico)
Exceção: subumano (nesse caso, a palavra humano perde o h).

Não se usa o hífen quando o prefixo termina em vogal diferente da vogal com que se inicia o segundo elemento.(agroindustrial, autoestrada, anteontem)Exceção: o prefixo co aglutina-se em geral com o segundo elemento, mesmo quando este se inicia por o: coobrigar, coobrigação, coordenar, cooperar, cooperação, cooptar, coocupante etc.

Não se usa o hífen quando o prefixo termina em vogal e o segundo elemento começa por consoante diferente de r ou s.(autopeça, semideus, ultramoderno)

Com o prefixo vice, usa-se sempre o hífen. Exemplos: vice-rei, vice-almirante etc.

Não se usa o hífen quando o prefixo termina em vogal e o segundo elemento começa por r ou s. Nesse caso, duplicam-se essas letras.( antirrábico, biorítmo, antissocial, antirrugas)

Quando o prefixo termina por vogal, usa-se o hífen se o segundo elemento começar pela mesma vogal.(anti-inflamatório, micro-ondas, contra ataque)

Quando o prefixo termina por consoante, usa-se o hífen se o segundo elemento começar pela mesma consoante.(super-romântico, inter-regional)

Nos demais casos não se usa o hífen.(hipermercado)

Com o prefixo sub, usa-se o hífen também diante de palavra iniciada por r: sub-região, sub-raça etc.

Com os prefixos circum e pan, usa-se o hífen diante de palavra iniciada por m, n e vogal: circum-navegação, pan-americano etc

Quando o prefixo termina por consoante, não se usa o hífen se o segundo elemento começar por vogal.(hiperativo, interescolar, interestadual)

Com os prefixos ex, sem, além, aquém, recém, pós, pré, pró, usa-se sempre o hífen. (além-mar, ex-aluno, pré-vestibular)

Deve-se usar o hífen com os sufixos de origem tupi-guarani: açu, guaçu e mirim.(amoré-guaçu)

Deve-se usar o hífen para ligar duas ou mais palavras que ocasionalmente se combinam, formando não propriamente vocábulos, mas encadeamentos vocabulares. (ponte Rio-Niterói)

Não se deve usar o hífen em certas palavras que perderam a noção de composição.(girassol, paraquedas, mandachuva)

Para clareza gráfica, se no final da linha a partição de uma palavra ou combinação de palavras coincidir com o hífen, ele deve ser repetido na linha seguinte.(Na cidade, conta-se que ele foi viajar.

RESUMO

Emprego do hífen com prefixos
Regra básica: Sempre se usa o hífen diante de h: anti-higiênico, super-homem.

Outros casos
1 . Prefixo terminado em vogal:
• Sem hífen diante de vogal diferente: autoescola, antiaéreo.
• Sem hífen diante de consoante diferente de r e s: anteprojeto, semicírculo.
• Sem hífen diante de r e s. Dobram-se essas letras: antirracismo, antissocial, ultrassom.
• Com hífen diante de mesma vogal: contra-ataque, micro-ondas.

2. Prefixo terminado em consoante:
• Com hífen diante de mesma consoante: inter-regional, sub-bibliotecário.
• Sem hífen diante de consoante diferente: intermunicipal, supersônico
• Sem hífen diante de vogal: interestadual, superinteressante.

OBSERVAÇÕES

1 . Com o prefixo sub, usa-se o hífen também diante de palavra iniciada por r sub-região, sub-raça etc. Palavras iniciadas por h perdem essa letra e juntam-se sem hífen: subumano, subumanidade.

2 . Com os prefixos circum e pan, usa-se o hífen diante de palavra iniciada por m, n e vogal: circum-navegação, pan-americano etc.

3. O prefixo co aglutina-se em geral com o segundo elemento, mesmo quando este se inicia por o: coobrigação, coordenar, cooperar, cooperação, cooptar, coocupante etc.

4 . Com o prefixo vice, usa-se sempre o hífen: vice-rei, vice-almirante etc.

5 . Não se deve usar o hífen em certas palavras que perderam a noção de composição, como girassol, madressilva, mandachuva, pontapé, paraquedas, paraquedista etc.

6. Com os prefixos ex, sem, além, aquém, recém, pós, pré, pró, usa-se sempre o hífen: ex-aluno, sem-terra, além-mar, aquém-mar, recém-casado, pós-graduação, pré-vestibular, pró-europeu.

terça-feira, 9 de junho de 2009

Citações de "mestres"

Não sou escritora, mas conheço meus sentimentos.
Várias vezes tenho dificuldade em verbalizar o que sinto/penso.
Mas é incrível, de repente dou de cara com um texto que grita: tá vendo Yone, olha a externalização do que você pensa/sente aqui!!
São coisas/sentimentos que moram em mim, sei lá... acho que desde sempre!!
Compartilho aqui alguns com vocês:


"No momento em que nos comprometemos, a providência divina também se põe em movimento. Todo um fluir de acontecimentos surge ao nosso favor. Como resultado da atitude, seguem todas as formas imprevistas de coincidências, encontros e ajuda, que nenhum ser humano jamais poderia ter sonhado encontrar. Qualquer coisa que você possa fazer ou sonhar, você pode começar. A coragem contém em si mesma, o poder, o gênio e a magia.”(Goethe)

"Quando o homem aprender a respeitar até o menor ser da criação, seja animal ou vegetal ...Ninguém precisará ensiná-lo a amar seu semelhante."(Albert Schweitzer )

"A alma dos diferentes é feita de uma luz além.Sua estrela tem moradas deslumbrantesque eles guardam para os poucos capazesde os sentir e entender.Nessas moradas estão tesouros da ternura humanados quais só os diferentes são capazes.Não mexa com o amor de um diferente. A menos que você seja suficientemente forte para suportá-lo depois." (Arthur da Távola)

"Ele não sabia que era impossível. Foi lá e fez.(Jean Cocteau)

" Se as coisas são inatingíveis, ora!
Não é motivo para não querê-las.
Que tristes seriam os caminhos senão fosse a presença distantedas estrelas."(Mário Quintana)

"Se você não está cometendo erros,você não está assumindo riscos,e isso significa que você não está indo a lugar algum." (John Hott Jr)

"Quanto mais nos elevamos, menores parecemos aos olhos daqueles que não sabem voar. "(Friedrich Wilhelm Nietzsche)

"Tudo no universo esta em busca de equilíbrio"(Einstein)

"Quando nós - dois elementos - nos juntamos numa mesma razão, por uma mesma razão, criamos um estado harmônico, estamos em Harmonia, somos a Harmonia. Entre nós, independentemente do resto, há Equilíbrio."(Dr. Celso Charuri)

"O valor das coisas não está no tempo em que elas duram, mas na intensidade com que acontecem. Por isso existem momentos inesquecíveis, coisas inexplicáveis e pessoas incomparáveis".( Fernando Pessoa )

"Diferencie problemas reais de problemas imaginários e elimine-os, porque são puras perdas de tempo e ocupam um espaço mental precioso, que deveria ser usado para coisas mais importantes."(Gurdjieff )

"Para ser uma pessoa espiritualizada basta ter um bom coração."(Dalai Lama)

"O livre-arbítrio é a nossa oportunidade de passar bem ou mal por aquilo que temos de passar." (jung)

"No Universo não há culpados nem inocentes, agressores nem agredidos - só a lei de causa e efeito atuando."(Célia do Carmo por Waldemar Falcão)

domingo, 7 de junho de 2009

Sua casa/coisas, é você!! Já olhou prá ela? Percebeu, viu?

(tudo o que escrevo aqui, é uma verdade minha e de agora.)
Cada um tem seu ritmo de evolução, mas perto ou longe caminhamos juntos e fazemos parte do mesmo todo.Quero falar de uma casa que conheço (não é a minha), mas não importa de quem é, e se alguém souber quem mora nela, espero que respeite e guarde isso prá si.
É uma casa "pesada".
Fechada, sem luz do dia, sem cheiro bom, sem música, sem alegria... com pessoas sempre na defensiva preparados para o pior.
Toda vez que vou lá, tenho vontade de abrir portas e janelas e deixar a luz entrar.
Tenho vontade de jogar água em tudo, colocar uma música, um vaso de flor cheiroso, ou acender um incenso perfumado... eu sei o "cheiro da água e da luz" (pode rir se quiser), pode modificar um ambiente.
Tenho vontade de "desencher" essa casa de tanto medo e insegurança e colocar fé no lugar de tudo isso, mas quem sou eu prá fazer isso?
A casa não é minha, essa percepção sim é minha... e eu continuo respeitando as pessoas e o direito de cada um então penso:
- Yone, olhe prá você, conserte a si mesmo!!!
(Por favor isso não é um julgamento, é uma sensação e um desejo de que todos fiquem bem... cada qual a sua maneira)

quinta-feira, 4 de junho de 2009

Filhos nos ensinam (1): aprendi que criança não entende linguagem figurativa, bem antes do conceito acadêmico.

Bom dia!!
Tenho três filhos (21, 26(fem.) e 29 anos(masc.)) maravilhosos, não é "conversa de mãe", eles são mesmo... tenho certeza que gostariam deles, são muito "gente boa"!!
Somos mãe e filhos e somos amigos, nossa convivência é linda... mágica.
Mas indo a reflexão:
Estava eu fazendo jantar, M o mais velho (10 anos na época) no banho e as duas meninas A e J brincando.
M não gostava de parar de brincar para ir tomar banho, mas quando estava no banho... não queria mais sair (continuava a brincadeira lá).
E o tempo passando, passando e nada dele sair do banho.
Eu da cozinha pedindo M sai agora, chega, vem, tá demorando muito aí... e as meninas brincando e escutando eu falando.
E nada, ele nem ligava para o que eu dizia.
Depois de tanto pedir, perdi a paciência e disse: M sai já daí, vai acabar "derretendo no chuveiro"!!
Dali um pouquinho chegou J (dois anos na época), assustada, chorando e falando:
- mãe, vai logo... tira ele de lá... se ele derreter vai embora pelo ralinho a gente não acha mais!!!
Olha, a ficha caiu e eu percebi o quanto a tinha assustado mesmo que sem intenção... criança não decodifica até uma certa idade.
Daí prá frente comecei a tomar bastante cuidado ao falar... já sabia que palavras tem um certo poder (em outro tópico falo sobre isso), mas aumentei meu cuidado.

(a habilidade de decodificação varia de pessoa para pessoa, independentemente da idade que tem, é preciso cuidado)

quarta-feira, 3 de junho de 2009

Vivência da Yone educadora (2)

Fui voluntária num projeto social por três anos e meio(1999/ 20003), amo o trabalho que fazem e as crianças (11 a 18 anos de idade) de lá.
Por que não estou mais lá?
Essa é uma outra história, melhor agora, terminar essa.
Entrei no projeto para dar orientação escolar, numa classe mista, de idade e sexo.
No primeiro dia cheguei meio sem saber o que esperar e sem saber se ia dar conta, mas cheguei com a certeza de querer fazer dar certo.
Entrei com um "sorriso na cara" e disse bom dia!! (para aquelas carinhas desconfiadas)
Alguns só me olharam de cima abaixo, alguns responderam timidamente, outros alegremente mas um deles (um menino de 17 anos com 1,75m de altura (eu só tenho 1, 54m)) me olhou e disse:
- bom dia nada dona, o dia tá uma m... vá t.n.c.
Eu olhei prá ele e disse, fica tranquilo daqui prá frente só vai melhorar.
Percebi logo que ele liderava, era respeitado por todos ali.
Eu não o conhecia, não ia julgá-lo, mas ia conquistá-lo.
Bom e assim foi, ele insinuava que ia riscar meu carro, me bater, me testou de várias maneiras.. respondeu assim por 6 meses e eu também, continuei chegando e dizendo bom dia. (muitas vezes eu chegava em casa chorando pensando que não ia conseguir)
Até que um dia, como sempre eu disse bom dia, e ele respondeu:
- "bom dia, dona, eu não quero fica gostano da senhora porque chega gente aqui, a gente a gente se entrega, a pessoa fica dois mês e vai embora pensando que a gente é bicho que pode ser largado".
Nossa, vocês conseguem imaginar!!!
Num segundo eu senti toda a dor daquele menino e tudo ficou claro.
Eu respondi:
- olha eu pretendo ficar bastante aqui, mas não sei até quando porque as coisas mudam .... mas só sei que enquanto eu estiver aqui vocês vão ser amados e respeitados e eu quero ser respeitada também.... e se um dia eu sair, se vocês quiserem, nossa amizade continua, mas vamos começar nossa aula então!
Todos pegaram o material, e essa foi uma das melhores aulas que eu dei e recebi.(esse foi um dos dias que voltei chorando prá casa, chorava por agradecimento, por amor ao/do próximo, acho que isso é um tipo de milagre, se não for.. não sei o que é então)
A partir desse dia, ele me respondia o bom dia com um outro bom dia... ele me protegia de qualquer malcriação.
Ele o lider, era respeitado por todas as crianças sim porque quem o conhece sabe, ele tem um enorme coração, só se protegia das "pancadas que estava acostumado levar", da meneira como ele sabia.

(PS: depois que saí do projeto, algumas crianças continuaram "dando uma passadinha" na minha casa... principalmente no dia das crianças, dos "doces ou travessuras", Natal, rsrsr... mas eu sei, se faziam isso é porque confiavam/gostavam de mim... criança é criança, graças a Deus!!!


segunda-feira, 1 de junho de 2009

Vivência da Yone educadora (1)

Eu brincava carinhosamente com os alunos chamando-os de "monstrenguinhos do meu coração", eles amavam pois associavam com "monstrinhos do bem" dos filmes/desenhos infantis.
Quando eu só os chamava pelo nome sabiam que eu estava triste com eles por terem feito alguma coisa que não deveriam ter feito.
Era uma delícia, eu os chamava de monstrenguinhos e eles pulavam no meu pescoço me abraçando... eram "meus filhos por coração".
Uma vez G (um menininho lindo!) não estava num bom dia (acho) e resolveu estragar o desenho do amiguinho, que ia pro mural (todos os desenhos iam).
Eu percebi e pedi prá que ele parasse pois o amiguinho iria ficar triste, mas ele não parava, nenhuma conversa estava adiantando.
Pedi e avisei várias vezes que se ele não parasse eu iria colocá-lo sentado sozinho em outra mesinha (eles estavam trabalhando em grupo), e nada.
Bom, faz parte do desenvolvimento da criança testar até onde pode ir com o adulto/outro e assim ir descobrindo sua potencialidade, isso é sadio, mas é uma boa hora para aprender "limites" , uma coisa bastante importante também.
Voltando, pedi (falando firme e forte, mas não gosto de grito) prá que G fosse se sentar na outra mesinha.
Ele olhou prá mim com muita raiva e disse:
- Eu odeio você!!
Eu respondi:
- Não faz mau, eu amo você assim mesmo, só não gosto do que está fazendo... por isso vai ficar um pouco aí e pensar no que fez.
Bom a aula continuou todos terminaram o trabalhinho (ele também) e já estava na hora de ir embora.
Eles estavam felizes pois os pais iriam ver o mural.
G me chamou e disse:
- tia, você não vai mais me chamar de monstrenguinho? Eu não odeio você, eu só tava bravo.
Eu respondi:
- eu sei, eu te amo, só não quero que faça mais isso... você sempre vai ser meu monstrenguinho!
Vocês conseguem imaginar que abraço gostoso recebemos um do outro no final dessa história?

"Tem gente em situação pior que a sua"

Sabe quando você escuta por aí (alguém falando para alguém) "nossa, tem gente em condição bem pior que a sua", como se isso fosse um consolo???
Não entendo isso!
Se eu não estiver bem um dia, vou ficar feliz se outros estiverem, e se não estiverem vou ficar mais triste ainda... jamais ficarei melhor sabendo que o próximo está mau.
Para me sentir plena quero todo mundo bem ou no mínimo administrando da melhor maneira possível a dificuldade do momento e "virando o jogo".
Não dá prá ficar feliz quando o outro é infeliz, não dá... por isso não venha me falar "olhe pro lado, vê quanto sofrimento " e sinta-se bem, até vou entender sua boa intenção, mas não vou gostar.